Já lá vão mais de 6 meses nesta aventura

Estamos em Fevereiro, já passaram mais de 6 meses que deixei de trabalhar para os outros e tornei-me o meu próprio “patrão”, foi uma das melhores decisões da minha vida, desde então não paro de crescer e evoluir, tanto pessoalmente como profissionalmente.

Japh, João, eu e o Calin no WC Europe

Quando me despedi ouvi diversas palavras “não amigas” através de várias pessoas, como por exemplo:

  • Daqui a 6 meses vais à falência;
  • Vais ficar meses sem receber;
  • Tu és doido, trabalho estável, em frente à praia, ias ao ginásio, karaté e ainda tinhas dinheiro para ir comer fora;

Viajar foi um dos principais pontos que mais me agradou

Antes de começar a trabalhar para mim, mal saia do ambiente “casa” + “trabalho” e estava sempre fechado num escritório, cerca de 10 horas por dia. De que me serve a praia em frente ao escritório se não posso ir trabalhar para lá? De nada…

Hoje trabalho na praia, na piscina, em esplanadas, cafés, bibliotecas, casa, coworks, onde eu quiser! No meu ponto de vista, a liberdade de escolha estimula a minha criatividade e por consequência arranjo soluções mais inovadoras e bem sucedidas para o meu negócio atual.

Apesar de agora estar de volta ao Algarve (onde nada acontece), continuei a ir a Lisboa e nos últimos 7 meses fui lá pelo menos 7 vezes, também tive a oportunidade de viajar 2 vezes ao Porto (a comida é TÃO boa!), fui à Holanda e a Sevilha (belas tapas…).

Eu não viajava absolutamente nada, desde que estou livre passei mais de 30 dias fora de casa (no total). E só passaram 7 meses…

Reconhecimento para mim vale bastante

Há agências que divulgam a equipa de forma a estimular o sucesso pessoal de cada um, eu não tive esta sorte, por tanto por mais projetos que fizesse ou por mais prémios que a agência ganhasse eu continuava apenas a ser o Tiago Martins.

Atualmente trabalho com um pequeno grupo de profissionais, todos são os seus “patrões”, dedicam corpo e alma naquilo que gostam. O meu trabalho começa finalmente a ser falado e o meu nome a vir ao de cima.

Como por exemplo no WordCamp Europe (em Leiden, Netherlands) tive a oportunidade de conhecer 2 membros da Staff da Envato, e isso valeu-me uma entrevista pessoal, clica aqui para ver.

Para este ano existem vários objetivos

Este ano começou extremamente bem, consegui entrar no mercado dos UK, angariei um projeto muito interessante e é algo que certamente irei explorar melhor junto dos meus parceiros.

A FuseCoders irá lançar um novo produto nos próximos 4 meses, especialmente dedicado aos webmasters e afiliados para que possam converter mais e melhor com os seus websites.

Com a eLand Unip. o Bancos.pt está a andar, temos notícias todos os dias, o Portal irá levar algumas reformulações a nível de funcionalidade e sempre a pensar no nosso público-alvo.

E virão ao de cima mais alguns projetos pessoais com foco em Marketing Pessoal e Soluções de Marketing de Afiliados.

A minha conclusão é que…

A vida é curta, temos de ser felizes e apostar naquilo que realmente gostamos, correr mal é sempre um risco grande, 80% dos negócios falham. Mas quem não arrisca, não petisca, e eu ainda agora comecei a petiscar.

Aumentar Performance de Newsletters

Fazer bases de dados para envio de newsletters e campanhas de marketing é um dos temas mais apreciados pelos Webmasters / Marketers dos dias que correm.

Hoje vou passar alguns dos meus pontos de vista relativamente a algumas das grandes falhas cometidas por Webmasters / Marketers no que diz respeito às Bases de dados das Newsletters, assim como formas de contorná-las e aumentar a performance.

Performance

Segmentação é a chave do sucesso

Um contacto  segmentado e de qualidade vale significativamente mais que um “contacto simples”. Criei um pequeno exemplo para explicar melhor o meu ponto de vista:

Empresa: Objetivo, vender chocolates de alta qualidade e personalizados (sim eu sou amante de chocolate…);

Webmaster A: Base de dados generalista com 50.000 contactos;

Webmaster B: Base de dados de um portal sobre chocolate com 50.000 contactos;

Qual dos Webmasters (A ou B) trará mais retorno para a Empresa a longo prazo?

Não é necessário perder horas de estudo porque de primeira análise já sabemos que alguém que goste de Chocolates já é um potencial cliente pronto a converter, sendo assim o Webmaster B iria ser o escolhido para este propósito.

Que dados pedir na subscrição de Newsletter

A maioria dos Webmasters opta por pedir apenas o email para a subscrição da newsletter, no meu ponto de vista é uma má prática e devido a isso a base de dados perde valor de forma significativa.

Nome e Email são os dois campos essenciais para a subscrição de uma newsletter, todos nós gostamos de ser tratados pelo nosso nome / nickname e é raro existirem exceções, vejamos dois exemplos:

Confirmação de newsletter eficaz:

Olá Tiago Martins,

Obrigado por subscreveres a nossa newsletter, para que possas receber todas as nossas novidades semanalmente confirma a tua subscrição através do seguinte link:

example.com/confirmar

Confirmação de newsletter “ineficaz”:

Olá,

Obrigado por subscreveres a nossa newsletter, para que possas receber todas as nossas novidades semanalmente confirma a tua subscrição através do seguinte link:

example.com/confirmar

Analisando em termos psicológicos, ao ler o meu nome “Olá Tiago Martins“, sinto que estão a falar diretamente e exclusivamente comigo, ou seja, gera uma impressão positiva e leva-me mais facilmente a clicar no link de confirmação.

Não quer dizer que ambos os casos não convertam com sucesso, porém o privilégio de conseguirmos tratar alguém pelo nome é muito mas muito mais eficaz para vender, vejamos mais dois exemplos:

Venda eficaz:

Olá Tiago Martins!

Hoje lançamos o novo chocolate de avelãs, achamos que este irá ser de longe o teu preferido, como estás na nossa lista de amigos irás receber um desconto de 20% na tua primeira compra! De que estás à espera?

example.com/comprar-chocolate-avelas

VENDA “ineficaz”:

Olá!

Hoje lançamos o novo chocolate de avelãs, achamos que este irá ser de longe o teu preferido, como estás na nossa lista de amigos irás receber um desconto de 20% na tua primeira compra! De que estás à espera?

example.com/comprar-chocolate-avelas

Ainda não estás convencido que isto resulta melhor? Pergunta à primeira pessoa que te aparecer à frente se gosta de ser tratada pelo seu nome, depois testa esta filosofia e diz-me se os teus resultados foram ou não melhores.

Como controlar a qualidade e aumentar performance

Como já devem ter percebido, sou extremamente exigente com qualidade e performance, e só assim é que consigo os meus resultados.

Algo que muito poucos fazem, mas que eu não abdico é de colher os seguintes dados nas subscrições de Newsletters:

  • Endereço de IP
  • Página de Conversão
  • Data
  • Hora

Porquê recolher tantos dados?

  1. O utilizador não tem que os preencher, é tudo feito através de processos automáticos no sistema.
  2. Através do endereço de IP consigo saber quantas máquinas com o mesmo IP estão a submeter o meu formulário, permite-me identificar fraudes.
  3. Página de conversão – saber quais são as páginas do meu projeto que convertem mais permite-me realizar uma melhor otimização desses mesmos canais e perceber de forma mais eficaz aquilo que resulta ou não.
  4. Data +  Hora – compreender os dias em que converte mais e ativar campanhas nessas mesas alturas.

Feito isto temos tudo aquilo que precisamos para saber qual é o melhor dia, hora e tipo de conteúdo a anunciar. O resultado como é de esperar será melhor do que feito sem qualquer tipo de planeamento ou estudo.

Qual é a tua opinião sobre este assunto? Tenho todo o gosto em tornar este tópico uma secção de discussão sobre os assuntos aqui falados. Deixa a tua opinião ou comentário!

Google Maps – custom Marker

Criei uma pequena solução muito básica para aplicar o Google Maps com um Marker customizado no seu website, siga o meu código ou faça o download da solução completa.

Google Maps

HTML

<!DOCTYPE HTML>
<html>
	<head>
		<meta charset="utf-8" />
		<title>Google Maps API - First Map</title>
		<link rel="stylesheet" href="style.css">
		<script src="http://code.jquery.com/jquery-1.9.0.min.js"></script>
		<script src="http://maps.google.com/maps/api/js?sensor=false&language=pt"></script>
		<script src="scripts/map.js"></script>
	</head>
	<body>
		<div id="mapcont"></div>
	</body>
</html>

Ficheiro CSS

Crie um novo ficheiro CSS (neste caso “style.css”) ou adicione os styles do mapa a um css já existente no seu projeto.

Basicamente deverá definir a largura (width) e a altura (height) do ID do div correspondente ao mapa (neste caso “#mapcont”).

/* Altura e largura do mapa */
#mapcont {width:600px; height:350px;}

Ficheiro Javascript

Copie o seguinte javascript e configure tendo em conta os comentários presentes no mesmo.

var map = {
	theMap: 0,
	pin: 'images/pin.png',
	//Zoom inicial do mapa
	zoom: 17,
	//Latitude e Longitude do pin
	latpos: new google.maps.LatLng(38.693683, -9.311943),
	marker: 0,
	init: function() {
		//Aqui são definidas as opções do mapa (zoom, centro do mapa, tipo de mapa...)
		var mapOps = {
		    zoom: map.zoom,
		    center: map.latpos,
		    mapTypeId: google.maps.MapTypeId.ROADMAP
	  	}
	  	//O mapa é atribuído ao div com o id 'mapcont'
		map.theMap = new google.maps.Map(document.getElementById("mapcont"), mapOps);
		//O Pin é adicionado no mapa
		map.marker = new google.maps.Marker({
			position: map.latpos,
      		map: map.theMap,
      		icon: map.pin
  		});
	}
}
$(function () {
   map.init();
});

Faça o download com a solução completa

Google Maps V01

Irão sair novas versões com mais funcionalidades! Fique atento aos próximos artigos sobre Google Maps

Não está a conseguir colocar esta funcionalidade no seu website ou pretende algo mais complexo? Entre em contacto comigo.

Como funcionam os Motores de Busca

Começando pelo básico, um motor de busca é um sistema que através de queries realizadas pelo utilizador fornece um conjunto de resultados relacionados, cujo “único” objetivo é fornecer a informação que o utilizador realmente procura.

Se ainda não sabe o que é Search Engine Optimization, aconselho-o(a) a ler o meu primeiro artigo sobre SEO antes de continuar com a leitura deste.

As primeiras noções

Agora que já sabemos o que é Search Engine Optimization e o que é um motor de busca, vou-lhe apresentar alguns conceitos:

Crawler / Spider

Os crawlers (também chamados de spiders) são robots que navegam e “consomem” conteúdos na Internet, ou seja é um software que tem como objetivo vasculhar toda a web e colher esses mesmos resultados para que possam ser analisados e posteriormente classificados.

SERP

Search Engine Results Page (página de resultados de pesquisa) é uma lista de resultados em resposta a uma determinada query.

Query

Uma query é um conjundo de instruções (neste caso, palavras-chave) que permitem extrair dados de uma determinada base de dados, apresentando-os de forma adequada.

A indexação resume-se em 3 pontos

Depois de uma pequena introdução, vamos ao que realmente procura, mas como funcionam afinal os motores de busca? Como é que eles indexam um Website e o posicionam nas SERPs?

Funcionamento motor de busca

1. O Crawler encontra o website e faz o download do mesmo

Neste primeiro ponto, o crawler verifica a semântica da página, isto faz com que o mesmo saiba qual o conteúdo mais importante e verifica a acessibilidade da informação presente.

2. A informação é analisada, classificada e posteriormente indexada

O Crawler verifica todas as otimizações on-page (ligações internas, títulos, metas, conteúdo, performance…) e a popularidade da mesma (número de comentários, se é falada nas redes sociais, ligações de websites externos, taxa de rejeição, comportamento dos utilizadores, etc) e com estas avaliações todas, a página é classificada e posteriormente indexada.

3. Os resultados de pesquisa

Através de um algoritmo, os motores de busca obtêm as classificações de cada página Web e organizam os resultados com o objetivo de colocar nos primeiros lugares os conteúdos mais relevantes.

E finalmente, a minha conclusão

Para atingir bons rankings nos motores de busca, terá de criar Websites extremamente úteis para o nicho em que estão inseridos, de modo a que os leitores fiquem satisfeitos
e falem do mesmo.

Ao se tornar uma referência, também terá vários websites a criarem ligações para o seu, o que lhe ajudará bastante a subir nos resultados de pesquisa.

SEO – Tráfego Qualificado e mais Barato

O mercado mudou bastante nos últimos anos, hoje em dia quando os consumidores procuram algo (informações, produtos, locais…) dão preferência aos motores de busca em vez de jornais, livros, etc… Portanto, conquistar as primeiras posições nos motores de busca, é sem dúvida muito importante para o crescimento de qualquer negócio.

Existem duas maneiras de gerar tráfego nos motores de busca

Tráfego Qualificado, o que realmente rende!

Tráfego qualificado baseia-se exclusivamente em utilizadores com interesse efetivo no produto, serviço ou informação localizada numa determinada página web, possuem ainda uma maior predisposição para realizar uma acção/conversão.

PPC / Pay-per-click

Pay-per-click baseia-se numa forma de anunciar algo, onde o pagamento será contabilizado cada vez que algum possível cliente efetua um clique nesse mesmo anúncio.

Tráfego Orgânico VS Pay-per-click

  • PPC é instantâneo, ou seja, a sua campanha é aprovada e de imediato começa a aparecer nos locais de links patrocinados, enquanto no SEO poderá levar meses para aparecer nos primeiros lugares;
  • Em certas palavras-chave, para aparecer com frequência nos locais patrocinados, terá de pagar valores acima dos 2 euros ao clique, o que tornar-se-á bastante dispendioso; no SEO conseguirá controlar os seus orçamentos de forma muito mais eficaz;
  • Nos PPC possui maior controlo sobre as páginas que pretende divulgar, podendo cancelar de forma imediata, enquanto no SEO não terá tanto controlo.

Os utilizadores preferem tráfego orgânico

Apesar dos links patrocinados nos motores de busca estarem posicionados no topo e à direita da página, os utilizadores já perceberam que o que eles realmente procuram “irá estar” nos resultados orgânicos.

Percentagem do resultado orgânico e PPC

Apenas cerca de 30% dos utilizadores é que clicam nos links patrocinados, os outros 70% preferem resultados orgânicos!

Ou seja, um serviço de SEO é mais eficaz e barato

Já ouvi dizer bastantes vezes “SEO para quê? Se posso colocar o meu website no Google Adwords e estar sempre em primeiro?”, se também pensa assim, vou explicar-lhe a razão pela qual está errado:

  1. Imagine que pretende adquirir “rankings” utilizando PPC (Pagamento por Clique) e o seu objetivo será atingir 1000 visitas/dia, em média pagará entre 0,15 cêntimos a 2 euros por clique, tudo dependerá da concorrência das palavras-chave escolhidas;
  2. Pensando que obteve uma média de 0,30 cêntimos por clique, você vai gastar cerca de 300 euros/dia o que dá um total de 9000 euros por mês.

Através de serviços de otimização para motores de busca por um especialista, certamente que conseguirá preços mais amigáveis e a taxa de conversão será maior devido a serem visitas completamente orgânicas, conseguindo um melhor ROI (Retorno sobre investimento).

Sem dúvida alguma que a longo prazo é uma excelente aposta, está na hora de começar a tornar o seu projeto numa referência e começar a gerar as conversões que sempre pretendeu.

Possui uma opinião sobre os PPC vs SEO? Partilhe-a com um comentário!

Otimização para Motores de Busca – SEO

Search Engine Optimization (SEO) ou Otimização para os Motores de Busca trata-se de um conjunto de técnicas/estratégias que, quando aplicadas de forma correta, farão com que as suas páginas web consigam melhores posicionamentos orgânicos nos resultados de pesquisa.

Na minha própria visão, SEO é…

Uma estratégia que através da compreensão do comportamento do nosso target, nos permite alcançar tráfego orgânico com o objetivo de fidelizar os utlilizadores e gerar conversões.

Como são apresentados os resultados orgânicos no Google

Resultados orgânicos no Google

A verde podemos ver os resultados orgânicos e a vermelho os links patrocinados do Google Adwords.

Existem dois tipos de otimização

On-Page que, como o próprio nome indica, apresenta fatores internos que melhoram a qualidade do website e Off-Page que apresenta fatores externos ao website.

Fatores On-Page

  • Títulos e Meta Tags;
  • Semântica do HTML;
  • Qualidade do conteúdo apresentado;
  • Hiperligações internas entre conteúdos relevantes;
  • Velocidade da Página.

Fatores Off-Page

  • Quantidade de links externos e qualidade dos mesmos;
  • Textos âncora utilizados nos links externos;
  • Idade do domínio.

Existem muitos mais fatores de ranqueamento, os quais iremos explicar com exemplos práticos nos próximos artigos.

White Hat vs Black Hat

Existem dois tipos de especialistas em SEO, aqueles que são éticos (White Hat) e respeitam a concorrência, utilizando técnicas legais e os não éticos (Black Hat), que utilizam técnicas ilegais para atingirem os primeiros lugares nos motores de busca, em tempo recorde.

Neste momento já deve estar a pensar “Ok, vou utilizar Black Hat porque é mais rápido”, tire isso da sua cabeça pois hoje em dia os motores de busca já têm proteções para estes casos, possivelmente fica um dia ou dois no topo e logo depois verá o seu website banido.

A grande vantagem do SEO

Quando um utilizador pesquisa algo num motor de busca, o seu único objetivo é encontrar algo, seja informação, produtos, etc. No caso de o seu website estiver bem posicionado e fornecer o que os utilizadores realmente procuram, terá uma enorme taxa de conversões.

E mais conversões, significa mais dinheiro!

Siga o meu blog e continue a aprender SEO com os meus artigos, aproveite e deixe também a sua opinião agora mesmo!